Sandra Chemin expõe sobre o futuro do trabalho no Fórum da Syntese

Sandra Chemin Forum

Sandra Chemin expõe sobre o futuro do trabalho no Fórum da Syntese

Futuro do trabalho é um dos temas mais tratados pela empreendedora Sandra Chemin que, há 14 anos, tem explorado novas formas de viver e trabalhar. Atualmente, ela reside entre a Nova Zelândia e o Brasil, para onde vem regularmente prestar consultoria em novos modelos de gestão, fazer palestras e workshops sobre o futuro do trabalho.

Na sua última passagem por aqui, Sandra palestrou no 3º Fórum Curadoria das Relações Humanas – Educação e o Futuro do Trabalho, promovido pela Syntese, em maio de 2018.

Durante sua apresentação, ela comentou que vivemos um momento muito singular, em que, por um lado, as pessoas cada vez mais estão buscando significado, inclusive no trabalho; e por outro, há um grande avanço tecnológico dentro das organizações. Sandra vem questionando sobre o que, de fato, é relevante em ambientes onde computadores sabem mais do que pessoas.

Para ela a resposta está nos aspectos humanos: colaboração, fazer junto, desenvolver a criatividade. “Temos que criar situações onde haja criatividade, soluções de problemas, capacidade de diálogo e de acessar a inteligência coletiva de grupos, ou seja, tudo aquilo que a máquina não pode fazer”, constata.

Segundo Sandra,  as empresas precisam investir na “criação de uma nova camada de tecnologia humana para que haja um crescimento exponencial nas relações humanas”.

 

 

Futuro do trabalho: novas culturas e novos líderes 

E em termos de cultura e liderança, ela vê algumas tendências começando a surgir. No que se refere à cultura organizacional, Sandra cita três eixos principais:

  • Cultura mais participativa nas empresas;
  • Cultura de aprendizado;
  • Cultura de experimentação nas empresas.

Em termos de liderança, ela aponta que os líderes são cada vez menos chefes e passam a inspirar e apoiar os liderados. E as empresas estão se tornando mais horizontais, quebrando hierarquias. “A base para que isso funcione tanto em termos de cultura como de liderança é entendermos o que nos move como indivíduos e como empresa”, afirma.

No 3º Fórum Syntese “Curadoria das Relações Humanas – Educação e o Futuro do Trabalho“, Sandra também falou da sua experiência na fundação do ​futureyou​, programa que traz uma nova perspectiva sobre trabalho e ajuda as pessoas a escolherem o estilo de vida que querem levar e a desenharem seu trabalho em torno desse estilo de vida. Ela relatou sobre como se tornou membro e embaixadora da Enspiral, rede global de empreendedores pioneira em modelos participativos de gestão; e da Edmund Hillary Fellowship, programa que criou o Global Impact Visa para atrair empreendedores e incubar projetos de impacto global a partir da Nova Zelândia.

 

Jornada de constrastes e oportunidades

Aliás, a Nova Zelândia é o destino da próxima “Jornada de Constrastes e Oportunidades” que a Syntese vai promover em parceria com a ​South Collective​, rede que desenvolve jornadas de transformação conectando pessoas, lugares e propósito. Sandra é fundadora da South Collective, junto com Eduardo Shimahara, brasileiro que hoje segue a carreira de professor na África do Sul, destino para o qual a Syntese tem levado profissionais para vivenciarem a “Jornada de Constrastes e Oportunidades“.

 

 

No Comments

Post A Comment