Colaboração para alcançar resultados transformadores

Colaboração para alcançar resultados transformadores

Um evento criado de colaboradores para colaboradores. Esse foi o resultado de uma ação de facilitação que a Syntese desenvolveu na Claro. A empresa tinha o desafio de estruturar um evento para celebrar as conquistas do ano da área de Comunicação Interna e Responsabilidade Social e um de seus times. 

Em vez de oferecer o modelo pronto do evento, a Syntese, ancorada no seu método baseado na confiança e na criação de um ambiente que favorece a aprendizagem,  sugeriu ao cliente envolver os próprios colaboradores da área na construção desse evento. Aceito o desafio, foi formado um grupo de oito pessoas que partiu para um dia intenso de trabalho. 

Alexandre Moreno e Ana DelPino, ambos da Syntese, facilitaram o grupo e se permitiram descobrir caminhos junto com os participantes, reforçando a crença da consultoria de que “educação se faz com pessoas e não para as pessoas”. Foi um dia com muitos desafios, entrega mútua, desconstrução, autoconhecimento, escuta e empatia, até formatarem um produto final. Raphael Cavaco, um dos integrantes, declarou que “rolou muita comunicação, empatia e espaço para entender o outro”. 

ETAPA 2

A segunda fase do projeto foi o ‘Dia D’, o dia do evento, que aconteceu uma semana depois do encontro do grupo de trabalho. A equipe organizadora foi cofacilitadora do percurso desenhado para este dia. O ineditismo das atividades ficou por conta do trabalho do facilitador gráfico Marcio Reiff, que registrou todos os aprendizados do dia em um painel, e do Gui Vitale, que organizou uma roda de tambores, indispensável para integrar o grupo, revelando a importância de ter ritmo e energia. 

Quem participou teve a oportunidade de experimentar um jeito novo de atuar em equipe, de construir a partir de um coletivo. “Somos diferentes e fomos percebendo como cada um atua. Pude me perceber e isso contribuiu com meu desenvolvimento. O mesmo aconteceu com os outros participantes”, disse a cofacilitadora Aline Monteiro da Silva.

Perceber o movimento horizontal no qual os cofacilitadores foram os mediadores de uma atuação coletiva fez com que o grupo acreditasse na potência desse “jeito de fazer”: entender o desafio, acolher o caos e trabalhar com colaboração para alcançar resultados de transformação. E isso também tem a ver com a confiança nas pessoas, com autonomia, liberdade e empatia. 

“Fiquei orgulhosa por tudo o que foi feito, inclusive pelo dia de hoje. Toparam o desafio e confiaram na potência de cada um para estruturar a entrega. Isso é senso de autonomia, de tomada de decisão rápida, de desenvolvimento pessoal e de equipe”, disse Daniely Gomiero Vilalba, diretora de Comunicação Interna e Responsabilidade Social da Claro.

Nos ambientes corporativos, cada vez mais se exige profissionais autônomos, responsáveis e colaborativos, e Moreno acredita que “você só convida alguém para ser protagonista se o permitir ser”. A jornada de aprendizagem para esse jeito de ser e atuar só se dá ao experimentar os processos, no mergulho das descobertas.

Assim é o jeito Syntese de ser, ao utilizar da Abordagem Centrada na Pessoa (ACP), pois acredita na transformação das pessoas ao colocá-las como corresponsáveis pela construção do conhecimento.

No Comments

Post A Comment